Hipoterapia - Dom Cavalo
326
page,page-id-326,page-template-default,ajax_fade,page_not_loaded,,vertical_menu_enabled,side_area_uncovered_from_content,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.5.3,vc_responsive

Hipoterapia

É uma abordagem de orientação estritamente clínica, cuja prescrição só deverá ser feita por um especialista em neurologia e que deverá ser acompanhada por um neuro-fisioterapeuta, com conhecimentos específicos na neuro-fisiologia do cavalo e de todo o seu sistema nervoso central, de modo a potenciar a relação das reacções neurológicas do animal com os do utente.

 

A hipoterapia está aconselhada preferencialmente a pessoas com limitações severas e com pouca capacidade de interacção com o meio envolvente. Indicamos a título meramente exemplificativo algumas das patologias onde o contributo desta modalidade é muito benéfico:

  • Paralesia cerebral
  • Espásticos
  • Atetósicos

 

  • Hipotónicos
  • Spina Bífida
  • Hemiplegia e paraplegia

 

  • Traumatismo craniano
  • Patologias mentais
  • Outras patologias de origem genética

Na hipoterapia o cavalo é utilizado como meio terapêutico. São os movimentos produzidos pelos andamentos do cavalo (o passo), o respirar, etc., que vão actuar sobre o cavaleiro de modo a produzir efeitos benéficos na evolução ou desenvolvimento de capacidades anteriormente inexistentes, perdidas ou reduzidas.

 

Esta modalidade actua em três vertentes da reabilitação ou tratamento do indivíduo:

  1. Físico – Melhoria generalizada  da condição física, que progride a vários níveis:
  2. Motor: Verificam-se melhorias no tónus muscular, propriocepção, coordenação de movimentos, etc.
    Fala: Início da expressão de palavras
  3. Psicológico – Ao conseguir alcançar em cada sessão os objectivos traçados, o indivíduo recebe estímulos positivos, o que se reflecte no aumento da auto-estima e confiança. Muitas vezes também se consegue a expressão de sentimentos.
  4. Social – O estabelecimento da  interacção/comunicação com o cavalo, com o hipoterapeuta e com o centro hípico, permite ao indivíduo o estabelecimento de laços sociais que vão estimular e reforçar o desempenho das suas competências sociais.

 

A Equitação Adaptada é uma actividade equestre e modalidade paraolímpica. A sua principal característica consiste no facto de a equitação ser utilizada como meio terapêutico destinada a indivíduos (crianças, jovens e adultos) portadores de deficiência, com disfunções ligeiras a moderadas e que gozem de alguma capacidade de interacção com o meio.

 

Tal como a hipoterapia, a equitação adaptada está aconselhada na reabilitação das seguintes patologias:

 

A hipoterapia está aconselhada preferencialmente a pessoas com limitações severas e com pouca capacidade de interacção com o meio envolvente. Indicamos a título meramente exemplificativo algumas das patologias onde o contributo desta modalidade é muito benéfico:

  • Paralesia cerebral
  • Espásticos
  • Atetósicos
  • Hipotónicos
  • Spina Bífida
  • Hemiplegia e paraplegia
  • Traumatismo craniano
  • Patologias mentais
  • Outras patologias de origem genética

Nesta modalidade, todos os recursos da equitação são utilizados como forma de desenvolver capacidades necessárias à autonomia dos indivíduos. Assim:

  • Aprender a montar. Os andamentos do cavalo (passo, trote e galope) permitem ao monitor, trabalhar os padrões de movimento humano que se encontram alterados nestes indivíduos.
  • Limpar os cavalos.
  • Aparelhar.
  • A formação e a troca de conhecimentos.

 

Uma particularidade desta modalidade é o facto de os equipamentos (por exemplo os arreios) poderem ser adaptados de acordo com as necessidades individuais dos praticantes.

A equitação adaptada abrange as actividades equestres de Lazer e de Competição. Aqui a equitação adaptada é praticada na variante de paradressage. Os cavaleiros têm que se enquadrar dentro dos critérios mínimos de incapacidade. A sua classificação decorre do seu perfil funcional de acordo com o exposto no manual de classificação do I.P.E.C. (organismo internacional que regula este tipo de competições). As provas são realizadas em picadeiro onde o conjunto deverá executar exercícios e figuras segundo um traçado predefinido.

 

Em termos gerais podemos afirmar que os benefícios terapêuticos da equitação adaptada situam-se em três planos:

  1. Físico – A transmissão contínua de movimentos entre o cavalo e o cavaleiro, permitem uma melhoria generalizada da condição física do indivíduo.
  2. Psicológico – Reforço positivo da motivação:
    •  O indivíduo consegue alcançar, em cada aula, os objectivos para si traçados.
    • Ao entrar em competição demonstra a si próprio e aos outros que é capaz.
  3. Social – Ao estabelecer uma interacção com o cavalo, com o monitor e com o centro hípico, o indivíduo estabelece laços sociais que vão estimular e reforçar a motivação para o desempenho dos seus papéis sociais.

 

A equitação terapêutica é uma prática que utiliza o movimento multidimensional do cavalo para melhorar a função neuro muscular e o processamento sensorial. Deverá ser sempre prescrita por um técnico de saúde e acompanhada por um fisioterapeuta, bem como, de um monitor de equitação adaptada. O andar a cavalo proporciona benefícios a nível físico, psicológico e social.

Este tipo de abordagem tem como benefícios:

  • Aumentar a capacidade cardio-pulmonar
  • Melhorar a irrigação sanguínea
  • Fortificar a massa muscular
  • Fortalecer o sistema imunológico
  • Melhorar a capacidade das articulações
  • Facilitar o movimento
  • Relaxar
  • Favorecer a s vias sensoriais principais (audição, visão, tacto e olfacto)

Promove o desenvolvimento psicomotor, contribuindo para o equilíbrio, para a orientação espacial, para a coordenação motora grossa e fina, para a lateralidade, para o ritmo, para a consciência do corpo e do tempo. Desenvolve a aquisição de gestos e automatismos, a capacidade de reacção, desenvolve a coordenação, aumenta o auto controle dos movimentos involuntários, a precisão do gesto e a correcção da postura. Desenvolve a capacidade emocional e de autoconfiança, desenvolve a responsabilidade, o domínio, disciplina pessoal, o controle das emoções e a auto reflexão. Encoraja a tomada de decisão, fomenta a independência, fomenta a tenacidade, melhora a auto imagem e fomenta a estabilidade. Proporciona e promove a socialização e favorece laços efectivos. Melhora a comunicação, favorece a aprendizagem, desenvolve a memória, a atenção e a capacidade de concentração.

 

È divertido, ensina e treina novas competências, tarefas e exige um envolvimento activo.

Contribui para que estes utentes sejam mais felizes proporcionando-lhes uma maior qualidade de vida.

As sessões podem ser individuais ou colectivas e têm uma duração de 20 minutos

  • Sessão Avulsa

  • Eur12,50Sessão
  • Preço com Monitor do Centro Hípico

    Acresce o IVA à taxa legal em vigor

  • Cartão pré-pago (4 sessão)

  • Eur40.00Sessão
  • Preço com Monitor do Centro Hípico

    Acresce o IVA à taxa legal em vigor

  • Cartão pré-pago (8 sessão)

  • Eur80.00Sessão
  • Preço com Monitor do Centro Hípico

    Acresce o IVA à taxa legal em vigor

  • Sessão Avulsa

  • Eur15.00Sessão
  • Preço com Fisioterapeuta especializada

    Acresce o IVA à taxa legal em vigor